Natal – Alunos/as concluem Curso de Formação em Saúde e recebem certificados

Rogéria Araujo

O coordenador geral do projeto, Luiz Bassegio, parabenizou os/as formandos/as pela participação no curso e pelo compromisso já evidenciado ao longo do projeto, com várias atividades realizadas com resultados concretos obtidos, por exemplo, através das Audiências Públicas. “Estamos num momento muito importante do país onde todos os conhecimentos passados na formação precisam estar junto com o povo, para que nós, povo, possamos cobrar, exigir nosso direitos diante deste cenário de desmonte que vivemos”.

Em seguida, o coordenador local, Nilton Minora, e a assessora Norma Minora, juntamente com o coordenador geral, chamaram os cursistas para receberem seus certificados. Cada um deles deram um depoimento sobre a experiência vivida no projeto.

Alguns afirmaram que não sabiam que tinham direitos garantidos, outros disseram ter aprendido que através da união e da luta é possível ter conquistas para o bairro e comunidade. Também foi falado que as leis existem, “mas elas só saem do papel se obrigarmos o poder público a colocá-las em prática”. A defesa do Sistema Único de Saúde, o SUS, também foi bastante citado como um exercício cidadão a ser feito todos os dias.

Com esta etapa final encerrada, os cursistas acordaram em fazer um convocação para que novos alunos se inscrevam e participem do Curso de Formação em Saúde do projeto, convidando a vizinhança de seus bairros, nos locais de trabalho, Conselhos de Saúde etc. No final, foi realizada uma confraternização.

O projeto

O projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política tem apoio da União Europeia e CAFOD. É executado pelo Programa Justiça Econômica, do qual fazem parte o Grito dos/as Excluídos/as Continental, Pastoral Social, Pastoral da Saúde, Comissão Brasileira de Justiça e Paz, contando com o apoio da rede Jubileu Sul Brasil.

O principal propósito deste projeto é, através de formação e incidência política, garantir melhor acesso e informação sobre o sistema de saúde pública do Brasil para populações vulneráveis.

O conteúdo desta notícia é de responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica não podendo, em caso algum, dizer que representa a opinião da União Europeia.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Puedes usar estas etiquetas y atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>