Dados do placar BenefiSUS foram exibidos ao final da XV CNS

Equipe Comunicação Programa de Justiça Econômica

Os dados do Placar BenefiSUS, iniciativa do projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política, foram apresentados no palco do Centro de Convenções Ulysses Guimarães, 4 de dezembro, último dia da Conferência Nacional de Saúde, em Brasília. Os resultados foram os seguintes: 11 milhões de procedimentos/dia; cerca de 4 bilhões de procedimentos feitos no ano passado; 3 bilhões e 700 milhões de procedimentos até o momento em 2015; 33 milhões de procedimentos realizados durante os dias da XV CNS.

Com um público estimado em cerca de 6.000 participantes, a XV Conferência Nacional de Saúde foi palco para decisões importantes no que diz respeito aos rumos da saúde pública do país. Foram estes participantes que puderam comprovar o quanto o Sistema Único de Saúde é importante para os usuários e usuárias do Brasil ao verem os dados do BenefiSUS exibidos nos telões montados no palco da Conferência, recebidos com muitos aplausos.

“Nós estamos aqui para defender a saúde pública. Nenhum centavo a menos para a saúde. Estamos aqui para mostrar como o SUS é importante para os mais pobres e excluídos”, disse Luiz Bassegio, coordenador geral do projeto Direitos Sociais e Saúde.

Do lado de fora, na tenda “Direitos Sociais e Saúde”, foi muito positiva a recepção do público quando se deparava com o Placar, nascido de um ideia coletiva e levada adiante pelo projeto que tem à frente as Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Pastorais de Saúde, Gritos dos Excluídos/as Continental, movimentos, redes e entidades que atuam em defesa da saúde.

Ângela Nicoletti, delegada pelo Estado de São Paulo, falou que “as pessoas às vezes não têm a dimensão de quanto o SUS é importante para a vida da população. É muito bom que iniciativas como estas possam mostrar o quanto o serviço público é eficiente, que isto nos dê mais base para lutarmos por uma saúde de qualidade”.

Já para Clóvis Boufleur, representante da CNBB no Conselho Nacional de Saúde, “é preciso que haja mobilização para que o SUS não corra perigo, para que não se corra o risco de acabar com uma política de estado universal”.

O projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política é cofinanciado pela União Europeia e tem apoio da CAFOD (Agência Católica para a Cooperação Internacional de Inglaterra e país de Gales). O projeto será implementado no Brasil nos próximos três anos por quatro entidades do Programa Justiça Econômica: Grito dos Excluídos Continental, as Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos de Brasil (CNBB), a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) e a Pastoral da Saúde; e com parceria da rede Jubileu Sul Brasil.

Para mais informações: www.direitososociais.org.br
Assessoria: Rogéria Araujo (85) 98683.8141 | (11) 94784.1929
e-mails: coord.direitosesaude@gmail.com comunica.direitosesaude@gmail.com

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Puedes usar estas etiquetas y atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>