Direitos Sociais

http://direitosociais.org.br

Parceiros

CAFOD JubileoSul
Pastorais Sociais Grito de los Ecxluídos/as Commisao Barileira Pastoral Saudade

Com apoio da

UE

SUS é Vida – Campanha busca sensibilizar sociedade sobre o valor do Sistema Único de Saúde

Você já imaginou sua vida sem o SUS? Pois é, nem a gente! É por isso que o projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política vai encerrar os trabalhos com o lançamento da Campanha SUS é Vida. O objetivo da campanha é sensibilizar a sociedade de que o Sistema Único de Saúde é essencial à vida de todo o povo brasileiro, não importando classe, raça, idade…Todos usam o SUS. Este é o legado que o projeto pretende deixar e acompanhar depois de três anos de atuação.

SUS É VIDA

Além da participação de representantes da classe artística, a campanha contará com depoimentos de usuários e usuárias do sistema público de saúde. De acordo com Luiz Bassegio, coordenador nacional do projeto, a proposta é mostrar que o SUS está bem mais além das unidades e postos de saúde – o que muita gente desconhece.

“O SUS está presente no cotidiano, desde a qualidade da água que bebemos, na comida que pedimos nos restaurantes ou em outros estabelecimentos, até no saneamento básico. Vimos a necessidade de contribuir para esse momento de sensibilização, para que as pessoas saibam desta abrangência”, falou Bassegio.

A campanha será composta por um vídeo, spots para rádios para circular via aplicativos, posts e gifs animados em redes sociais, depoimentos sobre os sucessos do SUS, além de cartazes e folders. Para divulgar a iniciativa, estão previstos vários lançamentos em eventos locais e nacionais. O desejo é que através desta campanha as pessoas despertem o sentimento de pertencimento de direitos básicos como é o caso da saúde. Afinal, o SUS é meu, é seu, é nosso. O SUS é vida!

Aguardem!!!

O Projeto

O projeto é cofinanciado pela União Europeia e tem apoio da CAFOD (Agência Católica para a Cooperação Internacional de Inglaterra e país de Gales). O projeto será implementado no Brasil nos próximos três anos por quatro entidades parceiras do Programa Justiça Econômica: Grito dos Excluídos Continental, as Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos de Brasil (CNBB), a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) e a Pastoral da Saúde Nacional. Conta com a parceira da rede Jubileu Sul Brasil.

Facebook: Programa Justiça Econômica | Site: www.direitosociais.org.br
e-mail: coord.direitosesaude@gmail.com | Rogéria Araujo: (85) 99619.2566

O conteúdo deste material é de responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica, não podendo em caso algum, dizer que representa a opinião da União Europeia.

Projeto Direitos Sociais e Saúde disponibiliza boletim sobre o Ano III em versão on line

O projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política encerra um ciclo de três anos de atividades em Natal (Rio Grande do Norte), Grajaú e São Bernardo do Campo (São Paulo). Muitas das ações deste último ano do projeto estão registradas no boletim “Nosso Projeto”, que pode ser acessado em sua versão virtual, disponível na página www.direitosociais.org.br

Nosso Projeto

O informativo traz notícias sobre a participação do projeto na última edição do Fórum Social Mundial, que aconteceu em março em Salvador, na Bahia; além de depoimentos dos cursistas das três localidades; ações de incidência; e os preparativos da Campanha “Sus é Vida”, que tem o objetivo de sensibilizar a sociedade brasileira sobre o valor do Sistema Único de Saúde; também traz notícias sobre a reorganização da atenção básica em São Paulo que, com muita luta popular, vem sendo construída em coletivo com a população.

A versão impressa está sendo distribuída em Unidades Básicas de Saúde tanto em São Paulo como em Natal, junto aos parceiros e públicos que atuam em defesa da saúde. A proposta é mostrar o conjunto de atividades e resultados conseguidos pelo projeto.

Para acessar, basta ir o link:
https://direitosociais.org.br/document/boletim-nosso-projeto-ano-iii/

O Projeto

O projeto é cofinanciado pela União Europeia e tem apoio da CAFOD (Agência Católica para a Cooperação Internacional de Inglaterra e país de Gales). O projeto será implementado no Brasil nos próximos três anos por quatro entidades parceiras do Programa Justiça Econômica: Grito dos Excluídos Continental, as Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos de Brasil (CNBB), a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) e a Pastoral da Saúde Nacional. Conta com a parceira da rede Jubileu Sul Brasil.

Para mais informações:coord.direitosesaude@gmail.com | Whatsapp: (85) 99619.2566 (Rogéria Araújo) | Facebook: Programa Justiça Econômica | www.direitosociais.org.br

“O conteúdo deste documento é da responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica, não podendo, em caso algum, considerar-se que reflete a posição da União Europeia”

Núcleos do projeto Direitos Sociais e Saúde concluem Curso Básico em Saúde com entrega de certificados

Cursistas do Curso Básico em Saúde promovido pelo projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política encerraram o ciclo de três anos de execução do projeto com a entrega de certificados para alunos e alunas que participaram das atividades neste último ano em Natal (RN), Grajaú (SP) e São Bernardo do Campo (SP). O projeto é cofinanciado pela União Europeia, com apoio da Agência Católica para o Desenvolvimento da Inglaterra e País de Gales (Cafod), e é realizado pelo Programa Justiça Econômica.

Certificações

De acordo com Luiz Bassegio, coordenador nacional do projeto, ao longo desses três anos de atuação, é possível observar vários avanços do público alvo – agentes da Pastoral da Saúde, lideranças comunitárias, conselheiros/as de saúde – sobre as questões que envolvem a saúde pública, sobretudo no que diz respeito ao controle social feito com participação popular.

alt_text

“Todo processo de formação exige tempo e dedicação. Ficamos muito orgulhosos de ver que os cursistas absorveram o conteúdo das formações e demais atividades do projeto, aprimorando e aprofundando o conhecimento sobre saúde ser direito e não favor. Esta certeza de que sem participação população não se faz mudanças vai ficar como mensagem a ser seguida”, disse o coordenador nacional.

O evento de certificação em Natal, no Rio Grande do Norte, aconteceu no dia 27 de abril; já no Grajaú, os certificados foram entregues no dia 5 de maio; e em São Bernardo do Campo no dia 2 de junho. Com três anos de duração, o projeto realizou formações, palestras motivacionais, seminários, audiência públicas sempre com temáticas relacionadas à saúde pública e à seguridade social, de modo geral.

Resultados

Os três anos foram concluídos com 3.591 beneficiários diretos; 16.320 famílias beneficiárias indiretas e 362.640 beneficiários finais, envolvendo as três regiões. São esses beneficiários/as que hoje fazem valer um objetivo essencial: o fortalecimento e capacidade de agentes, lideranças comunitárias e redes da sociedade civil para que atuem na área da saúde pública, no financiamento e no orçamento, elaboração de proposta, monitoramento, incidência política com impactos no SUS.

O Sistema Único de Saúde é responsável pelo atendimento de mais de 70% da população brasileira. Entre outros aspectos, destacou-se a melhoria no acesso à informação e no conhecimento sobre o direito à saúde e acesso aos serviços; aumento qualificado no controle social, através das Conferências de Saúde; nos Conselhos de Saúde; crescimento das ações de controle social e de elaboração de propostas, sendo 50 petições, realização de audiências públicas locais e nacionais, pronunciamentos e abaixo-assinados, diálogo propositivo, debate, e ações de articulação junto a 113 redes e organizações da sociedade civil; conquistas na melhoria do acesso aos serviços e equipamentos de saúde. Vale salientar a inserção de integrantes do projeto em Conselhos de Saúde locais e Municipais, considerados importantes espaços de decisões com participação popular.

O conteúdo deste material é de responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica não podendo, em caso algum, dizer que representa a opinião da União Europeia.

Página 1 de 3 proxima  última