CAFOD e equipe do projeto Direitos Sociais e Saúde realizam reunião em São Paulo

Rogéria Araujo

Em sua análise, Ana Costa apontou os riscos e os rumos que as políticas voltadas para a saúde estão tendo nesta atual conjuntura, com o país sendo governado através de um golpe institucional. Ana citou as contrarreformas previdenciária e trabalhista como pontos cruciais que vão interferir diretamente na vida do povo brasileiro.

A presidenta da Alames falou, ainda, que esta imposição de políticas de austeridade implementadas pelo governo de Michel Temer, não é isolada e está sendo feita em vários países, com consequências graves para as populações historicamente excluídas.
“Esse sistema financeiro quer destruir os países impondo políticas de austeridade fiscal que são remendos de crises que interessam ao sistema financeiro. Para consertar o mau gasto, no sentido de simbólico de austeridade que é ‘economizar para sobrar’. Mas esta austeridade fiscal só impõe cada vez mais sacrifícios à classe trabalhadora”, afirmou.

Em seguida da exposição de Ana Costa, foi aberto para a plenária fazer perguntas ou contribuir para o debate. Todas as falas e as considerações finais apontaram para o fortalecimento dos movimentos sociais e para os espaços unitários de luta contra os desmontes que estão acontecendo ou que são ameaças tanto para a saúde pública, o SUS, como para a seguridade social e a democracia brasileira.

Durante os três dias de encontro, além da análise de conjuntura, considerada essencial para contextualizar a imersão do projeto, os coordenadores locais do Alvarenga, em São Bernardo do Campo; Grajaú e Natal, no Rio Grande do Norte, puderam apresentar os avanços e o cumprimento das atividades do projeto, levantando sempre o que pode ser melhorado. O projeto caminha para o terceiro e último ano de execução. Também foram apresentados os resultados da comunicação e visibilidade do projeto e a parte administrativo-financeira do mesmo.

Também tiveram destaque as ações que aconteceram em nível nacional como a Audiência Pública como o senador Paulo Paim, em Brasília, que reuniu diversos representantes de movimentos sociais e da Igreja e o III Congresso Nacional da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), que ocorreu em maio, na cidade de Natal (RN).

Além das coordenações locais e da coordenação geral, representada por Luiz Bassegio e Luciane Udovic, estiveram presentes Cecilia Iorio e Kezia Lavan (CAFOD), Rosilene Wansetto (Jubileu Sul Brasil), Daniel Seidel (CBJP) e Sebastião Venâncio e José Gimenes (Pastoral da Saúde).

O projeto

O projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política tem apoio da União Europeia e CAFOD. É executado pelo Programa Justiça Econômica, do qual fazem parte o Grito dos/as Excluídos/as Continental, Pastoral Social, Pastoral da Saúde, Comissão Brasileira de Justiça e Paz, contando com o apoio da rede Jubileu Sul Brasil. O principal propósito deste projeto é, através de formação e incidência política, garantir melhor acesso e informação sobre o sistema de saúde pública do Brasil para populações vulneráveis.

Deja una respuesta

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *

Puedes usar estas etiquetas y atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>