Direitos Sociais

http://direitosociais.org.br

Parceiros

CAFOD JubileoSul
Pastorais Sociais Grito de los Ecxluídos/as Commisao Barileira Pastoral Saudade

Com apoio da

UE

Grajaú - projeto Direitos Sociais e Saúde segue mobilizado pela reorganização da atenção básica da saúde em São Paulo

O núcleo do projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política do Cantinho do Céu, no Grajaú, vem participando ativamente das reuniões para reorganização do plano de atenção básica no município de São Paulo. A proposta de restruturação de saúde da Capela do Socorro está concluída e será apresentada no próximo dia 11 de julho, a partir das 8h30, em plenária junto com movimentos sociais, usuários e conselheiros/as de saúde. A plenária quer ouvir se a proposta engloba todas as necessidades e demandas populares para a saúde e definir os próximos passos.

A iniciativa da reorganização da atenção básica com participação popular partiu da pressão do projeto que, envolvido junto com entidades e movimentos sociais diversos, chamou atenção do Ministério Público, que pediu a suspensão do plano proposto pela Secretaria de Saúde, que já estava em andamento.

Com a proposta do governo em andamento, vários postos de saúde foram fechados sem que a população fosse avisada. Uma delas foi a Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Myrna, na região do Grajaú que, mesmo com prazo determinado pelo Ministério Público para que fosse reaberto ainda no mês de junho, permanece fechada. De acordo com Seiti Takahama, coordenador local do projeto, várias reuniões estão acontecendo e o momento também é de fiscalização para que as AMAs sejam reabertas. “E que elas sejam reabertas com as estruturas necessárias para atender os moradores que são beneficiados diretamente pelos serviços médicos”.

Ele explicou que no começo do mês houve duas reuniões para tratar da nova proposta feita, agora, em coletivo com a sociedade civil. Na Supervisão Técnica da Capela do Socorro as reuniões nos dias 3 e 4 de julho. Vale ressaltar que estas discussões estão sendo feitas em todo o município de São Paulo. Ao todo, na região do Grajaú, 150 pessoas que atuam diretamente no projeto estão participando dos debates e contribuindo para o documento final. Seiti Takahama afirma, ainda, que há reuniões periódicas com o Ministério Público.

O Projeto

O projeto é cofinanciado pela União Europeia e tem apoio da CAFOD (Agência Católica para a Cooperação Internacional de Inglaterra e país de Gales). O projeto será implementado no Brasil nos próximos três anos por quatro entidades parceiras do Programa Justiça Econômica: Grito dos Excluídos Continental, as Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos de Brasil (CNBB), a Comissão Brasileira de Justiça e Paz (CBJP) e a Pastoral da Saúde Nacional. Conta com a parceira da rede Jubileu Sul Brasil.

Para mais informações:coord.direitosesaude@gmail.com | Whatsapp: (85) 99619.2566 (Rogéria Araújo) | Facebook: Programa Justiça Econômica | www.direitosociais.org.br

“O conteúdo deste documento é da responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica, não podendo, em caso algum, considerar-se que reflete a posição da União Europeia”

Última modificação: 9 de Julho de 2018 às 14:50
Tem 0 comentários
captcha
Quero ser notificado por e-mail quando há novos comentários.