Direitos Sociais

http://direitosociais.org.br

Parceiros

CAFOD JubileoSul
Pastorais Sociais Grito de los Ecxluídos/as Commisao Barileira Pastoral Saudade

Com apoio da

UE

Cursistas de São Bernardo do Campo recebem formação sobre controle social e participação popular

Controle social com participação popular. Este é um dos meios mais eficazes para garantir que os gestores cumpram seus deveres e que o povo tenha qualidade nos serviços que são de responsabilidade do Estado. O tema, desenvolvido por Stephan Sperling, da Rede Nacional de Médicos e Médicas Populares e do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (Cebes), fez parte do segundo módulo do Curso Básico em Saúde do projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política, que aconteceu no dia 28 de outubro, no Pampas Palace Hotel, em São Bernardo do Campo (SP).

Stephan Sperling apresentou aos cursistas – conselheiros/as de saúde, lideranças comunitárias, representantes sindicais – as possibilidades de realizar o controle social com propriedade, pois só a participação popular, num cenário de desmonte de direitos, poderá fazer diferença. “O cuidado com as pessoas, com a população deve ser respeitado acima de tudo. Por isso, é bom termos voz ativa, não podemos nos calar se algo está errado na UBS, na UPA do bairro onde moramos”, falou.

A professora aposentada e conselheira de UBS (Unidade Básica de Saúde), Amanda Leite, afirmou que toda a apresentação foi bastante esclarecedora e, sem dúvidas, apontou um caminho eficiente para todos que defendem a saúde pública. “Temos muita certeza da importância do SUS, mas às vezes não temos tantos elementos para defendê-lo. A palestra do Stephan foi muito boa porque nos instrumentalizou, nos deu argumentos fortes para facilitar a defesa do SUS. Argumentos baseados até em pesquisas científicas”, disse.

Para Claudionor Bernardo, do Comitê de Saúde de São Bernardo do Campo e representante sindical dos metalúrgicos, a formação tem um objetivo importante pois permite que o assunto seja replicado em outros espaços. “Essa experiência permite que a gente possa levar essa discussão para dentro das nossas comunidades, discutindo as políticas de saúde de cada região. Participei do primeiro módulo. Agora estou no segundo e pretendo continuar nos próximos. Quanto mais eu venho mais eu vejo o quanto é importante e o quanto a sociedade precisa desse tipo de diálogo”, afirmou.

O projeto

O projeto Direitos Sociais e Saúde: Fortalecendo a Cidadania e a Incidência Política é cofinanciado pela União Europeia e tem apoio da Agência Católica de Desenvolvimento da Inglaterra e País de Gales (Cafod). É executado pelo Programa Justiça Econômica, do qual fazem parte o Grito dos/as Excluídos/as Continental, Pastoral Social, Pastoral da Saúde, Comissão Brasileira de Justiça e Paz, contando com o apoio da rede Jubileu Sul Brasil. O principal propósito deste projeto é, através de formação e incidência política, garantir melhor acesso e informação sobre o sistema de saúde pública do Brasil para populações vulneráveis.

Para saber mais: www.direitosociais.org.br | Facebook: Programa Justiça Econômica
Emails: coord.direitosesaude@gmail.com | comunica.direitosesaude@gmail.com

O conteúdo deste material é de responsabilidade exclusiva do Programa Justiça Econômica, não podendo, em caso algum, dizer que representa a opinião da União Europeia.

Última modificação: 14 de Novembro de 2017 às 15:39
Tem 0 comentários
captcha
Quero ser notificado por e-mail quando há novos comentários.