1ª Conferência Nacional Livre de Juventude e Saúde se realiza em Brasília

Rogéria Araujo

Jéssica Faria, Natalia Gotardo e Rayssa Colegnac afirmaram que este foi um espaço de debate único e muito importante para a exposição das ideias e práticas da juventude brasileira. Durante a Conferência, vários assuntos foram tratados, entre eles: como envolver a juventude na luta pela saúde pública; como ampliar a participação do público jovem nos espaços de debates para que os jovens também sejam multiplicadores; e como atuar na atual conjuntura com a aprovação da Emenda Constitucional 95, que congela os gastos na saúde e educação por 20 anos.

As três integrantes do coletivo que representaram o Programa Justiça Econômica também disseram que foram apontados muitos desafios para a juventude. Lidar com mudanças geracionais, ativar o processo da escuta, solidariedade para atingir as várias juventudes que existem no Brasil foram alguns.

“A conferência nos trouxe a visão de como o movimento estudantil parou no seu tempo, e como ainda precisamos trabalhar o processo de escuta qualificada e mais coletividade para superar os personalismos que acabam fragmentando a luta em certos grupos de poder ou a própria reprodução de narrativas”, disseram.

A Conferência aconteceu como etapa preparatória à 16ª Conferência Nacional de Saúde prevista para acontecer em Brasília em agosto de 2019.

Dejar una respuesta